Este blog está programado e paginado para Microsoft Internet Explorer. Noutros browsers, é natural alguma desconfiguração.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Do Côa à calçada romana da Gata ...
em Maio, mês das maias

A 15 de Maio de 2010 estávamos com os Caminheiros em terras de Coruche. E de 19 a 29 de Maio ... em Vale de Espinho ... com os netos. A velha ponte, os campos, os lameiros, também continuavam a ver passar gerações ... mas, agora ... as nossas gerações!
A velha ponte do Côa também vê passar gerações...    20.05.2010
"Tantos meninos e meninas passaram aqui antes de mim..."
No dia 26, já sozinhos, voltei à Serra da Gata. Dois meses antes, tinha subido à Torre Almenara, mas o apelo era agora o da velha calçada romana que, desde o Puerto de Castilla, desce a serra até à vila. Desta vez a "sócia" acompanhou-me ... e o primo "corredor" da caminhada à Marvana de Maio de 2009... J!
Por velhos caminhos de terra mais ou menos transitáveis, conseguimos levar o carro até muito perto do Puerto de Castilla, no limite entre Castela e a Estremadura espanhola. A partir daí ... os horizontes abriram-
Peña Cuarterón e vale de San Blas, Sierra de Gata, 26.05.2010
se para o vale de San Blas, numa autêntica e espectacular vista aérea! Tal como anos antes me acontecia, em situações idênticas, pensar automaticamente em levar os alunos aos paraísos que eu ia descobrindo ... agora ocorria-me sempre que tinha de ali levar os Caminheiros. Menos de um ano depois estariam lá... J! Ao longo da descida, a velha calçada romana surgia pontualmente - a via Dalmacia, que ligava Coria a Ciudad Rodrigo. A Ermida de San Blas e a puente de los dos ojos, complementam os atractivos naturais desta espectacular vertente.
Via Dalmacia, calçada romana Pto de Castilla - Gata, 26.05.2010
Puente de los dos ojos, vale de San Blas, Gata, 26.05.2010
Chegados a Gata, de ruínhas típicas ao estilo medieval ... havia que voltar a subir; o carro estava no Puerto de Castilla. E subimos. Regressámos ao Puerto pouco passava das duas e meia da tarde ... e ali próximo outro apelo era o Pico Jañona, o "irmão gémeo" do Xálima, pouco mais de 100 metros mais baixo do que ele. Sabendo embora que o "primo corredor" me iria bater aos pontos, propus-lhe irmos até lá, o que foi logo aceite. A terceira "elementa" do grupo é que preferiu esperar por nós no carro.
Vila de Gata, com a Torre Almenara ao fundo, 26.05.2010
Cume do Pico Jañona (1362m alt.), Sierra de Gata, 26.05.2010
E lá fomos. O troço final de subida ... é penoso: 170m de desnível em 650 metros de percurso ... 26% de inclinação! Mas, ao contrário de Maio de 2009, agora eu já estava mentalizado para ver o primo subir o Jañona à mesma velocidade de tudo o resto ... e subiu... J! 10 minutos depois eu chegaria lá... J! 
Os três membros da "equipa" da Via Dalmacia (calçada romana da Gata) e os dois "conquistadores" do Pico Jañona, 26.05.2010
(ver o álbum completo neste link)
Mas estávamos em Maio ... mês das maias. Primeiro a giesta branca e, depois, a amarelo cerrado, as giestas cobrem os campos e as encostas de Vale de Espinho e de toda a raia transcudana. Dia 28, véspera de regressarmos desta movimentada estadia em Vale de Espinho, deambulei pelos campos, saboreando as cores e os cheiros daquela Natureza inspiradora.
Maio, mês das maias: campos de Vale de Espinho, 28.05.2010
Maio, mês das maias: campos de Vale de Espinho, 28.05.2010
Na floresta de "fieitos", Vale de Espinho, 28.05.2010
O rosmaninho contrasta no verde, 28.05.2010
7/09/2011

1 comentário:

JORGE FIGUEIREDO SANTOS disse...

«Maio, maduro Maio, quem te pintou...»